Dona Geo: [...] Naquela hora eu queria acreditar...

[...] Naquela hora eu queria acreditar em tudo que eu dizia, quantas vezes já havia dito aquilo pra mim mesma, já havia me convencido, era o que era, e não havia o "mas", mesmo assim naquela hora tudo que eu dizia era apenas o que eu queria acreditar que era e não o que de fato é.

Repetindo as antigas mentiras, cada palavra servia mais para mim que para o outro, a minha raiva era maior que eu imaginava, o que eu falava da boca pra fora em um impulso desesperado foi subitamente traido pelos meus olhos, que ao contrário dos meus ouvidos, não conseguiam se convencer do que eu dizia... traidores, eles deixaram transparecer a fraqueza que eu não poderia demonstrar exatamente naquela hora...

Foi quando desviei o olhar, me trai, e então dei a oportunidade que esperava, assim a mistura de dor e ódio, medo e coragem tomou voz, escutei as palavras que eu pedi, sem precisar dizer, pra escutar, palavras que eu queria acreditar, que deveriam ser a verdade,
que naquela hora foi a mentira mais sincera que eu escutei.

Cada palavra fazia sentindo e convenceria qualquer outra pessoa, era o que eu deveria acreditar que era, era o que fiz por merecer escutar, o que tiraria de mim a culpa de meus atos, conclusões precipitadas, me aliviaria de todo peso que carrego em pensar ter sido injusta e egoísta, traidora da confiança que tive de alguém que eu puni por não saber lidar, que perdi por conta de um capricho, pelos meus medos, pela minha covardia, mas era mais uma verdade inventada o que eu escutava, porque no fundo eu sei, ele sabia que era o que eu esperava, que era o que eu queria, era a forma de me fazer acreditar, a única forma, olhando pra mim e sem hesitar...

Aquele que consegue convencer, aquele que melhor que qualquer outra pessoa que eu conheça sabe com ninguém acreditar na própria mentira que conta, consegue transformar mentiras em verdades, fazer de suas palavras as minhas, que sabe muito bem não demonstrar, ignorar, fingir que não é atingido, tão cínico quando o quer, assim como eu, que me tira do sério por não fazer nada, o único que não consigo enganar, que me conhece melhor do que deveria, que eu conheço melhor do que muitos gostariam e ainda não sei quem é, ou o que quis dizer com tudo isso... no fundo eu tenho medo de saber. [...]

Inserida por bellerestel