Dona Geo: Cada um vive a vida que julga melhor pra...

Cada um vive a vida que julga melhor pra si, como todos que hoje estão numa prisão se julgam inocentes pelo crimes que cometeram, todos tem seus motivos e suas razões, se o mundo fosse feito de razão qualquer, por qualquer bem, como seria esse mundo se não houvesse quem dissesse o não, quem visse o errado, quem não concordasse com o caos?

Muitas pessoas conseguem ver, mas nem todas conseguem enxergar e poucas que enxergam conseguem ter coragem para enfrentar o que há de errado, quase ninguém gosta de responsabilidade muito menos de confrontar a verdade.

Vejo poucas pessoas lutando pelo que realmente querem de verdade, falta coragem, falta vontade, falta tanta coisa de verdade, faltam motivos, força. Vejo um mundo de pessoas fracas, entregando suas vidas ao acaso, ao fácil, desistindo de si mesmas, se juntando a massa de fracassados, de fracos entregues ao acaso.

Vejo uma geração de pessoas que cresceram "escutando" que poderiam ser o que quisessem ser, que teriam a liberdade que a geração passada não teve para escolher, vejo uma geração de pessoas perdidas e frustradas por verem que ser quem se "gostaria" de ser não é exatamente quem se é, não sabem que fazer com as escolhas e as oportunidades que se tem na vida, perdidas com o poder e potencial que tem nas mãos, que não sabem o que fazer, não sabem o que querem ser e não dão valor ao que já são.

Os Judas estão a solta, os amigos que beijam sua face, que passam a mão sobre sua cabeça, que comem da sua comida, te fazem dividir o pão, se fartam do seu vinho, que estão sempre "por perto", sujos, parasitas, vivendo da desgraça alheia, traçando um caminho com pétalas de flores que levam a crucificação. Sentindo a superioridade diantes de vidas desgraçadas, tão mais baixas como as que julgam viver, o conforto de se sentir "melhor" diante do despresível, diante do nível mais baixo, sente-se um acima, sente-se bem, comparado a quem?

Que Deus me perdoe de usar Teu nome em vão, mas são mais de dois mil anos e vejo filhos Teus fugindo da salvação, se entregando, carregando cruzes sem ao menos uma razão, quantas Marias chorando por seus filhos, de mãos atadas esperando que um milagres os salvem, crendo em uma ressurreição.

Quantos de nós somos hipócritas como Pilatos assistindo a tudo isso e apenas lavando nossas mãos, covardes, meros espectadores assistindo a tudo, deixando que tudo aconteça diante de nossos olhos. Não vamos "nos meter" não vamos mudar nada, vamos calar a nossa voz, vamos nos calar e deixar a "vida" acontecer, vamos deixar a vida se acabar, e quantas vidas mais vamos assistir se perder, quantas, por quantas "certas" razões?

Meu Deus, penso as vezes que o dom que me destes de conseguir enxergar e de sentir o mal que está por toda a volta seja a cruz que carrego, pois não aceito as coisas como simplesmente são, por que não consigo me calar mesmo quando não querem ouvir, por que não consigo parar quando vejo que tenho caminho a seguir, por que não consigo desistir de amar ao próximo que já desistiu de amar a si, por que sinto a dor das pedras que não vejo atirarem em mim, por que meu Deus não mudo eu e me conformo que o mundo está certo e errado sou eu em ser assim?

Porque nesse instante, com o peso que sinto em minhas costas, fecho meus olhos, sinto minha respiração mudar, meu coração se conforta e ouço uma voz dentro de mim que diz:

"Por que Eu não desisti de ti, assim como você não pode desistir de Mim".

Inserida por bellerestel