Carlos Bernardo González Pecotche: O bem que fizermos ao semelhante deve...

O bem que fizermos ao semelhante deve ser espontâneo, nunca obrigado, sem sequer pelas circunstâncias. Isto quer dizer que nossa bondade terá que estar subordinada unicamente ao nosso lire-arbítrio e ao nosso sentir.

Sejam permanentemente ativos, como tudo o que Deus criou; como a própria Natureza que está em constante atividade.

A vida não deve ser colocada dentro dos problemas, mas os problemas dentro da vida.

A natureza é sábia e contém o nectar da Sabedoria.É a primeira mestra do ser humano.

Inserida por smla1234