Tatiane Moresi: Vinte e Seis Quisera que me fosse...

Vinte e Seis

Quisera que me fosse concebida mais uma chance,
De ver esses teus olhos tão doces mesmo que distante...
Quisera que a vida não tivesse assim feito de mim,
Às vezes sinto que o nada e eu são quase a mesma coisa.
Quisera ter sido ao menos por um momento,
Esta mulher que você tanto amou, e que eu nunca pude ser...
Quisera que meus olhos tivessem tido a coragem de te encarar,
Sem medo, sem temor ou receio qualquer, apenas com ternura...
Quisera que eu tivesse a sorte de te encontrar de novo,
Quem me dera se por um milagre tudo fosse diferente...
Quisera ter o poder de voltar no tempo, eu voltaria....
Aquela noite fria em que vi o teu rosto pela primeira vez.
Quisera poder explicar, mas é impossível,
Porque não sou capaz de entender...
Quisera que a minha loucura não fosse sincera,
E que este sentimento nem de longe fosse amor...
Quisera não pensar que não faria nenhuma diferença,
Se tivesse escolhido melhor as palavras...
Quisera não querer-te tanto, mesmo sem querer...
O que fazer se continuo buscando seu rosto em tudo o que vejo?
Quisera que soubesse que tenho tentando te esquecer...
Mas, vezes ou outra, sinto tanta saudades, e como posso sentir saudades?
Quisera um dia poder lembrar e rir diante da nostalgia...
Talvez certas coisas permaneçam por muito tempo...
Quisera é apenas uma quimera, um verbo querer sem futuro.
Diante de um presente que nunca existiu...
Quisera é ação sem tempo..

Inserida por Moresi