Danilo Gomes: Medo do desejo de amar Às vezes não...

Medo do desejo de amar

Às vezes não sabemos o quanto nossos atos influenciam diretamente em outra vida.
Se soubesse o quão profundamente me encantou, talvez enxergasse além das atitudes.

Talvez meus atos não demonstrem o que penso e o que sinto.
Talvez não tenha se sentido tão importante quanto realmente é.

De repente não fui eu mesmo quem lhe falava naquele momento.
Quem és, quanto vale, o que representa, não há uma palavra pra definir.

O fato é que sinto algo.
Sinto que tive a oportunidade de conhecer alguém com todas as características que almejava.

As surpresas, entretanto, mesmo quando agradáveis, são surpresas. Nos pregam peças.

E agora, quando sinto que quero uma chance mais que tudo, percebo que essa chance é o que menos tenho.

Com estas palavras, singelas e sinceras, confirmo aquilo que, se por um descuido não ficou claro, por obra do destino ficou forte.

Inserida por dancg