Fanti Manumilde: Ruas de terra, onde o asfalto se...

Ruas de terra, onde o asfalto se encerra.
E dai pra frente é grande a sequela,
Mas não me estressa, paciência tenho a beça.
Seu tempo seu espaço, veja e maça.
Ruas de terra, era terra de ninguém.
Forasteiro, grileiro, prejudicou alguém.
Terra não tem, escritura não vem.
Em nome da justiça a tia diz amém.
Ruas de terra, onde se desce a serra.
Criançada no frevo logo se alegra.
Da risada, corre pra lá e pra cá.
E quando chove fica melhor de brincar.
Se esquece de tudo, se esquece da vida.
Criança feliz é criança sadia.
Tem gente que vem, tem gente que vai.
De chinelo no pé, esbanjando a paz.
Ruas de terra sempre tem algo a dizer.
Por aqui, sim, aprendi a viver.
Veja você que o bagulho é mil grau.
Ruas de terra, terra na rede mundial.

Inserida por fantimanumilde