Mariana Y. Shiraishi: Por vezes me sinto atordoada. Querendo...

Por vezes me sinto atordoada.
Querendo um sono eterno ou resolução para os problemas.
Penso: "O problema sou EU".
Então, para que atormentar o coração das pessoas?
Para quê incomodar almas com meus problemas?

Não entendo porque as cosias têm que ser assim!
Não entendo como as coisas dificultam a cada dia..
Sem soluções, sem um amparo.

Queria ser acolhida pelos braços de uma saudade absurda...
De mãos quentes e e judiadas pelo trabalho desde criança.
Queria poder alcançar perguntas..
Queria poder ser compreendida...
Queria explicações para certas coisas...
Ou então, um abraço afetuoso, um passar de mãos entre os meus cabelos e duas palavras "Vai melhorar!".

Mas nada disso tenho em minhas mãos.
Tudo o que eu quero ficam longe do meu alcance...
E um único fator ajudaria e muito!
Mas esse fator, anda mais difícil que qualquer outra coisa!
O que fazer? Como agir? Com quem conversar?
Quem irá me compreender? Quem ficará ao meu lado?

Sozinha...
Com os meus pensamentos, com as minhas palavras...
Meu coração se enche de mágoa a cada lágrima. A cada sussurro mal interpretado.

A cada incompreensão, a fraqueza...
A cada saudade, um coração imerso em lágrimas..
A cada suspiro, uma gota de esperança se vai...

Para onde irei?
Com quem ficarei?
Sozinha...
Com minhas dores, meus sentimentos, meus desejos...
Sozinha...
Em frias noites, em dias abafados, em tardes chuvosas...
Sozinha...
À sombra, à luz, à escuridão...

Sozinha??
Meu medo...
Minha fraqueza...
Meu silêncio...

Inserida por marianays