Bernardo Almeida (www.bernardoalmeida.jor.br): Desapego real Vejo do alto do sublime...

Desapego real

Vejo do alto do sublime castelo do perdão
Rainhas e reis deitados com a face virada para o chão
Admitem e arrependem-se dos seus erros
E pedem que suas cabeças sejam cortadas com rapidez e zelo

Mas não precisa desta atitude radical
Chega de sangue derramado em nossos quintais
As sobrancelhas franzem-se todos os dias
Porque entre homens violentos e selvagens
Faz-se presente diariamente a covardia

Apenas levem em seus corações a lição
Larguem todo o ouro e a prata no chão
As vestes e os reinos, coletivize-os agora
E liberte-se da praga miserável do apego

Bernardo Almeida (Livro Crimes Noturnos)

Inserida por robertleroy