Joane H. Maggioni: ... quanto a anunciação! Só Deus pode...

... quanto a anunciação!

Só Deus pode perdoar o que sou, pois só ele sabe do que me fez e para o quê.

Que culpa tenho eu? Só eu sei e, além de mim, só O Dono de toda a Criação saberá!

[...do início]

...eu queria o seu bem, e em resposta ele me odiava. Contundida, eu me tornava o seu demônio e seu tormento! E sem saber que eu obedecia a velhas tradições, mas, em diferença, com uma sabedoria com que os ruins já nascem. Tornara-se um prazer terrível o de não deixa-lo em paz.

... é que me comoviam seus ombros contraídos e tudo o que em mim não prestava ia se tornando o meu tesouro.

[...da mudança]

Tentei sorrir, sentindo que meu sangue sumia do rosto... por um instante eu vi com aterrorizado fascínio o mundo!

...mesmo agora ainda não sei o que vi, só que para sempre e em um segundo eu vi!

...o que quer que eu tenha entendido dessa visão, eu nunca saberei o que entendi...

Num choque de interesses ele me anunciara!

... logo em mim, tão cheia de garras e sonhos, coubera a missão de arrancar a farpa de um sonho inflamando?

...e me permitiu que eu o fizesse enfim sorrir!

[...do resultado]

...a necessidade de acreditar na minha bondade futura faz com que eu venere os desiludidos e os grandes... eu faço a minha imagem, mas uma imagem de mim purificada pela penitência do crescimento, enfim, minha imagem metamórfica liberta minha alma suja de menina.

[...do final]

...esse é o extremo!

Inserida por jomaggioni