Paulo Master: Pelo amor de uma mulher! No amor de uma...

Pelo amor de uma mulher!

No amor de uma mulher encontrei o meu eu, o meu seu, o seu nosso, em seus braços eu vivi o meu mundo, meu mundo sempre foi você, nele eu sorria e chorava, sorria de felicidade e chorava de prazer, meu prazer de ser homem apenas pra te dar mais prazer, te deixar feliz, te fazer fervilhar de prazer, apenas você, sempre você.
Por você eu fui longe, desci os andares do meu soberbo orgulho e mergulhei meus caprichos na mais profunda escuridão, apenas para que não restassem dúvidas que pudessem ameaçar sua soberania e fazer você me negar o seu amor, esse amor que para mim era como o ar que respirava, o brilho do sou que aquecia minha alma, e com uma generosa mão amiga sentia em você o poder de me dominar e usar a minha vida como parte da sua pois o poder que exercias sobre mim é o que me dava vida.
Vida vazia, mas com vida, pois quem me completava era você, não sentia a vida, mas te sentia, sentia o toque de suas mãos e ao menos num toque me sentia feliz, se por alguns instantes me sentia assim, eu agradecia pelo amor que mesmo sem ter me deixavas sentir, e não imaginava em outra ter o mesmo sabor.
A imagem que fazias de mim não era a mesma que tinha de ti, pois tua imagem me fazia feliz, trazia sentido ao meu mundo, mesmo sem sentir teu mundo, sem saber o calor e o odor do teu corpo nas horas em que perecia, mas o toque e o sentir da tua presença me faziam sorrir mesmo com minha sentença de morte sem a vida que queria de ti.
Quando as vezes me vias sorrindo era porque cai em mim que tinha ao menos uma mulher em minha vida, sem que ela me desse sua vida, mas ao menos tinha vida através daquela mulher.
Teu perfume me envolvia e enchia meu ser de alegria, te sentia arredia e a sua postura faceira, dominadora, sedutora me jogava a seus pés, meu ego não existia, ele tinha antipatia a você, eu não precisava de uma coisa que não usaria, mas precisava usar a você.
Larguei-me à vida, deixei de viver, segui meus instintos, pois eles queriam você, passei noites em claro apenas pra que você pudesse dormir, separei-me dos demais na esperança de podermos unir, lancei-me a própria sorte sem ter sorte qualquer e dei a vida tudo o que pude apenas pelo amor de uma mulher.

Inserida por Paulo-Santana