Anonimow: De que me importa a sociedade Se eu...

De que me importa a sociedade
Se eu também faço parte dela?
O que eu faço não diz respeito a mim e sim às pessoas ao meu redor
Os meus passos não sou eu quem dá,
As minhas falas são rigidamente criticadas,
O meu corpo não mais implora por você,
Os papéis entre eu e o cigarro se inverteram,
Meu cabelo não me obedece mais
A água que escorria pelo meu corpo não se faz mais,
Acho que por causa dos gritos que eu dava quando me acontecia
As melhores lembranças se despedaçaram em pequeninos sintomas
De uma coisa que não sei mais que nome eu posso atribuir
Ou qual a maneira mais corajosa de enfrentar o medo de mim mesma
A porta que hoje bate não é a mesma que eu olhava do buraco da fechadura.
Sou o próprio.
O ser angustiante que diz ‘vai pra onde quiser’
E que não sabe se controlar quando não quer.
O ser que se compara a um chocolate meio amargo
E o ser, esse mesmo que diz que não suporta quando se contradiz
Mas é expert em fazer...
O ser que sabe tudo e ao mesmo tempo não sabe nenhuma virtude do amor
Os humanos conhecem a dor
E mesmo assim se acham capazes de amar!


22 de julho de 2009.
Carta anônima à Senhora Humanidade.

Inserida por anonimow