Cláudia Marlene Assunção: "Nessas noites de poucas estrelas,...

"Nessas noites de poucas estrelas, penso naquilo que, lá bem distante fomos um dia. Hoje consigo ver, entender , mesmo não querendo o quão dificil é olvidar um grande amor.Não um amor qualquer, um amor que toma por si só , que tem o poder de salvar e dilacerar um coração, condenando-o assim,tudo sem fazer nada no entanto. Eis que surge de dentro, simples e complexo, um falso verdadeiro.Porém acalantador nas noites soturnas. Que prefere adiar o sofrimento a perecer da saudade, é errante, nunca sabe ao certo o que fazer, mas o faz contudo com aquiescência. Um verdadeiro demonio em trage angelical, te prende sem sequer tocar, liberta sem deixar perder, sempre certo, de que, quando precisar estará lá,lá bem, distante.
Num sempre Ausente - Presente"