Claudio Carvalhaes: Meu Pai Meu pai se foi Agora tudo são...

Meu Pai

Meu pai se foi
Agora tudo são escombros e restos na minha cidade saqueada e destruída
Uma cidade que foi uma vez tão bonita

Meu pai se foi
E com ele a alegria do mundo
A alegria que me sustentava com uma força pulsilânime, densa, estrutural

Meu pai se foi
E com ele uma fúria que me arrasta por mundos conhecidos e desconhecidos
Uma fúria que me me alimenta e me destrói

Meu pai se foi
E com ele um susto que parece que não vai embora
Como uma mensagem que se repete dia e noite na secretária eletrônica quebrada de meu telefone

Meu pai se foi
E com ele a luxúria de uma vida grata, alegre, doce
A luxúria da leveza e das coisas boas do dia-dia

Meu pai se foi
E com ele meu porto seguro
Minha direção no mundo, bússola do meu coração

Meu pai se foi
E com ele minha voz altiva e meu olhar confiante
Meus pés sólidos e firmes no chão, garatindo meus caminhos do porvir

Meu pai se foi
E com ele o palhaço que me fez rir a vida inteira
Hoje tem marmelada? Tem Sim senhor. Hoje tem goiabada? Tem sim senhor...
Como vai, como vai, como vai? Tudo bem, tudo bem, tudo bem, bem, bem.

Meu pai se foi
E com ele a paixão pelo futebol
E com ele a paixão pela arte
E com ele a paixão pela música

Meu pai se foi
E com ele um cidadão que reclamava de seus direitos
Um conservador de imensa lucidez


Meu pai se foi
E com ele as lembranças de brincar na casa da minha tia
Ele tocava violão ou violino,
Ela tocava harmônica
Ela fazia a melodia
Ele fazia a segunda voz

Meu pai se foi
E com ele as invenções de quem produzia mais que o tempo da vida lhe dava
A vida parecia correr para dar conta de toda sua força de criação

Meu pai se foi
E com ele as bordas do meu mundo
Ele era meu sul, meu norte, meu leste, meu oeste
Traços de uma cartografia que me definia e me desenhava sem eu saber

Meu pai se foi
E com ele um coração de tanta bondade
Um carinho por todo o mundo

Meu pai se foi
E com ele um sorriso presente
Sempre presente
Sempre presente
Sempre presente

Meu pai se foi
E com ele a saudação repetida no telefone
“O menino de ouro...”

Meu pai se foi
E o jeito desengonçado dele dançar
E seu amor pela chuva
Sua paixão pelo vinho, pelo bacalhau, pelo pastel

Meu pai se foi
E a boa vontade de fazer as coisas
Sua disposição para tudo

Meu pai se foi
E com ele o andar apressado dos dias da juventude
E o andar lento e difícil dos últimos anos

Meu pai se foi
E com ele uma parte de mim que ainda não sei qual é


Meu pai se foi
E com ele a luz do meu sol do meio dia

Meu pai se foi
E com ele uma ausência impreenchível

Meu pai se foi...
E a estrada agora parece tão longa
Mesmo que florida, mesmo que regada e cuidado por ele mesmo

“Alguem sentado a beira do caminho
Jamais entenderá o que eu sinto agora
Sou levado pelo movimento que sua falta faz...
Havia tanta paz no seu carinho
Na despedida fez um dia lindo”

Inserida por jessicapsy