Tatiane Moresi: Mais um ano termina com o fim do...

Mais um ano termina com o fim do calendário pendurado na parede.
Na velha agenda de repente todos os dias foram preenchidos.
Parece que foi ontem primeiro de janeiro, e hoje já é quase 31 de dezembro.
Então um novo ano começa com cheiro de roupa nova, de brinquedo tirado da caixa, de sapato nunca usado, de fogos de artifício queimando no céu.
Entre a contagem regressiva do passado e a espera do futuro, vivemos um presente que dura poucos instantes.
Abraçamos as pessoas que amamos, e as desejamos feliz ano novo, sentimos saudades dos que estão distantes, dos que já se foram, e daqueles que não importa quanto tempo passe jamais poderemos ver novamente, brindamos e nos embriagamos na espera da eterna possibilidade do vir a ser, do viver o que ainda virá, e da nostalgia da constatação dos sonhos que não foram realizadas.
È curioso o número quase incontável de expectativas que criamos, mas o mais espantoso é o a quantidade exorbitante de promessas que fazemos a nós mesmos, como se naquele momento querer e desejar fosse suficiente para remover todos os obstáculos e empecilhos que poderam vir sugir no decorrer do caminho, e é nele que nós nos esquecemos do que no primeiro dia tanto almejávamos.
E no vai e vêm, no correr incessante do ponteiro do relógio, no soar do despertador as seis da manhã, no acordar , almoçar , jantar , dormir, escovar os dentes, pentear o cabelo, sair correndo (pela hora quase que perdida) , chegar em casa quando já é noite , e etc, etc, que o ano vai passando, que já é seu aniversário , que há um fio ou outro de cabelo branco, uma marca profunda na testa e de repente, parece que tudo começa de novo...
Mas, quando você se dá conta o amor da sua vida se foi, seus pais tal como você também envelheceram, seus filhos cresceram e estão saindo de casa, você já não tem mais vinte anos, a maioria dos seus amigos também não, então, por sorte mais uma agenda chega ao fim, e você costada todas as coisas que perdeu e há esperar um intenso desejo de fazer tudo diferente, de diminuir um pouco a marcha, de desacelerar, mas o despertador toca...

Inserida por Moresi