Marylife: E.NE.I.AS Vaso sem flor, jardim maltrado...

E.NE.I.AS

Vaso sem flor, jardim maltrado por suas arrogancias
Criança ultrapassada, arredia na sua infantilidade
Prazeres sentidos incógnitos no seu mundo escondido
Moleque polimorfo, todavia sempre abraçado no seu peco
Sua áurea enlaçada no seu coração enfeitado de penúria
Tem tudo mas ao mesmo tempo não se tem nada.
Perrengue sempre sentado no banco pejorativo
Liba o sangue de suas presas impassivelmente
Um ser imane aprendeu com os seus erros apenas detrair
Seus sonhos mesquinhos geram apenas devaneios
Vive no mundo do mistificar da rua do seu vilipendio
Seu manto envolto em revel não se cansa de retroagir
Sentimentos inanimados, corrompidos navegando atrás
dos seus misoneismo
Indiferente ao bel prazer que avassala seu eu
Olhos vermelhos febris atingidos pelos raios solar
do seu brio. Ceg ante diante o lírio solitário em sua
formosura no odor intenso almiscarado.

Inserida por marylife