Cesar Jihad (Vulto Madhiba): “Não me olhe assim sou igual há...

“Não me olhe assim sou igual há você.”
Amei antes da aragem arbitraria arrebatado pela ilusão do desconhecido mundo desigual, alcoolizados perdidos mãe e pai, acostumei-me a rotineira sobrevida tornei-me um societário da miséria e fome.Do outro lado da ponte nos faróis onde mendigava muitas das vezes o resto dos restos para alimentar o insaciável vicio de meus pais, as marcas do descontrole intempestivo carreguei comigo durante um longo tempo, aos 15 anos me mudei para um lugar impiedoso, não fui por vontade própria, fui pela vontade de viver, ter, poder, querer, expender, mas aprendi...Aprendi que nem sempre os fortes sobrevivem, que não há regras onde regras são impostas, e que literalmente a esperança não é a ultima que morre, morremos antes de inúmeras formas, bem, sobrevivi...apos 2 anos já aos meus 17 um adolescente com cabeça de homem, trazia comigo o trauma de uma infância conturbada, já sem meus pais, pois se perderam, melhor se acharam, voltaram as cinzas. Descobri também que querer não basta pois rótulo é como uma cicatriz tem que aprender há esconde La se assim te incomodar, varias vezes meu pai chegava embriagado do bar e agredia minha mãe e eu, foi assim que quando adulto passei a encarar meus medos, os agredindo sem pensar, minha historia de vida, talvez seja como de tantos outros filhos do descaso no contexto geral, filho de pais alcoólatras, morador de favela, freqüentador de FEBEM, casa de recuperação e enfim ex – presidiário, trágico não? Não, não, e sim conseqüência da falta de crença, compaixão...que não temos uns com outros assim sempre observando o cisco no olho de nosso semelhante mas não sentindo o pedaço de tijolo em nossos próprios olhos, de nada adianta leis, decretos, projetos mirabolantes se não houver verdade...a violência esta em nós quando nos rendemos há intolerância de nosso eu.
Sempre adorei o canto dos pássaros, mas cresci com o barulho das armas, mesmo assim fui em busca de onde eles faziam seus ninhos!

Inserida por cesarjihad