Adriano Hungaro: OS TEMPOS DA MINHA VIDA Faço questão...

OS TEMPOS DA MINHA VIDA
Faço questão de viver sempre os melhores tempos da vida, os tempos mais coloridos e apaixonados. Já fui o oposto, mas me rendi frente à felicidade que as coisas boas me deram. Hoje, necessariamente, eu vivo o tempo dos mais vivos e com ele faço nascer o amor dentro de mim e dos que estão comigo. Hoje eu vivo o tempo de plantar os melhores relacionamentos para que possa colher as melhores amizades; eu vivo o tempo de curar as dores da alma daqueles que se sufocam silenciosamente; eu vivo o tempo de edificar grandes histórias de vida; vivo o tempo de rir, sorrir, o tempo de gargalhar e de lançar fora o pranto. Hoje, necessariamente, eu vivo o tempo de dançar as melhores músicas, as músicas que alegram a vida. Eu vivo o tempo de ajuntar pedras – “para construir castelos”. Hoje, necessariamente, eu vivo o tempo de abraçar; eu vivo o tempo de buscar as melhores soluções para os conflitos e de perder aquilo que definitivamente não vale à pena. Vivo o tempo de guardar os melhores momentos – mesmo que sejam vividos em frações de segundos. Hoje eu vivo o tempo de lançar fora os erros do passado, de rasgar as máscaras e panos que cobriram o rosto. Eu vivo, necessariamente, o tempo de coser feridas e cicatrizá-las sem deixar marcas. Eu vivo o tempo de me calar para as ofensas, bem como o tempo de falar: “te amo sempre”! Hoje eu vivo o tempo de amar, de amar sempre, abduzindo o ódio do meu caminho. Hoje, por qualidade de vida, abri mão das batalhas e das guerras... vivo, necessariamente, num tempo de absoluta e infinita paz.


PS:
Os piores momentos que a vida me apresenta eu absorvo-os, filtro-os e faço deles lições de vida, lições que se forem bem aceitas, assimiladas e postas em prática, jamais me darão trabalho.

Inserida por AdrianoHungaro