Glória de Santana: POEMA DA SOLIDÃO Serei tão secreta...

POEMA DA SOLIDÃO

Serei tão secreta
como o tecido da água

e tão leve

e tão através de mim deixando passar
toda a paisagem

e todo o alheio pecado
do gesto, da presença ou da palavra

que logo que a tua mão me prenda
me não acharás:

serei de água

Inserida por solitaria543