Letícia Thompson: seja vc mesmo Quando nos recusamos a...

seja vc mesmo

Quando nos recusamos a passar quem realmente

somos para os outros, é a nossa imagem que eles passam a conhecer e até a amar ou não apreciar, e não aquilo que somos verdadeiramente.

Freqüentemente as pessoas têm medo do julgamento

dos outros e elas preferem “seguir a maré” do que contradizer. Talvez tenham medo de se revelar por achar que não vão ser aceitas como são, ou então para não magoar e ferir os outros, preferem agir como se estivessem de acordo com tudo. Dizem sim quando interiormente pensam não.

E cria-se assim uma imagem falsa e errônea de si mesmo.

Mas a vida não é um palco e nós não somos todos atores que, depois do espetáculo, se despedem da sua personagem. Se fazemos isso criamos em volta de nós um mundo hipócrita.

Não digo aqui que devemos ficar jogando nossas verdades sem nos importar com a reação das pessoas. Nós não somos uma ilha e menos ainda o centro do mundo. Todavia, tem momento e meio para tudo na vida. O importante é a sinceridade.

Uma mesma coisa pode ser dita de diferentes maneiras

e causar diferentes impactos naquele que ouve. É o que chamamos de eufemismo e que não faz mal a ninguém. Uma coisa é dizer “essa cor fica horrível em você” e outra “eu acho que aquela ficaria bem melhor em você.”


Se não concordamos com uma idéia ou uma pessoa,

há maneiras de expor o que pensamos sem

sermos desagradáveis.

Nós somos o que somos e pensamos o que pensamos.

As pessoas que nos amam devem nos amar por aquilo que somos e não pelo que aparentamos ser. Elas nos aceitarão apesar de nossas falhas se perceberem que somos sinceros e se nos amarem verdadeiramente.

Qualquer que seja a situação, seja você mesmo.

Sincero, límpido, transparente. Talvez você não seja o

ideal para todo mundo, mas você saberá que aqueles que te amam, amam profundamente e de

todo o coração.

Os verdadeiros amigos não devem estar obrigatoriamente o tempo todo de acordo, mas devem aprender a respeitar e aceitar a diferença do outro, porque são justamente as diferenças que

nos enriquecem.

Inserida por re-fem