Miguel Torga: Agora, o remédio é partir...

Agora,
o remédio é partir discretamente,
sem palavras,
sem lágrimas,
sem gestos.
De que servem lamentos e protestos,
contra o destino?... Frase de Miguel Torga.

Agora,
o remédio é partir discretamente,
sem palavras,
sem lágrimas,
sem gestos.
De que servem lamentos e protestos,
contra o destino?

Miguel Torga TORGA, M., Diário XIII.

Nota: Trecho do poema "Adeus"

Inserida por tham