Desconhecido: Eu... Já ri até chorar e a barriga...

Eu...
Já ri até chorar e a barriga doer;
Já chorei até dormir e acordei com a cara deformada no dia seguinte;
Já dormi até as seis horas da noite depois de uma night daquelas;
Já dancei até perder as forças;
Já bebi até perder a noção de tudo;
Já dormi sentado na boate;
Já fui almoçar enquanto me procuravam no pique esconde;
Já rolei na grama num dia de sol;
Já tomei um banho de chuva, de braços abertos olhando pro céu;
Já chorei de alegria;
Já chorei de tristeza;
Já chorei por amor;
Já chorei pelo que eu achava ser amor;
Já passei noites em claro conversando com amigos;
Já vi o nascer do sol, depois de uma noite maravilhosa;
Já matei aula;
Já colei na prova;
Já flertei com quem não podia;
Já perdi pessoas queridas;
já achei que era o rambo e quis pular do meu predio;
Já tomei ovada;
Já fiquei vermelho de sol, de não poder encostar em mim;
Já viajei com amigos;
Já chorei no ombro deles;
Já ouvi o choro deles;
Já virei noite na net e tive que trabalhar no dia seguinte
Já caí no meio da rua;
Já ri das minhas próprias desgraças;
Já enrolei no trabalho;
Já fiz coisas proibidas;
Já magoei alguém;
Já fui magoado também;
Já aprendi com meus erros;
Já sofri por erros alheios;
Já gritei muito em parque de diversão;
Já toquei a campainha e corri;
Já acreditei em Papai Noel e tive medo do homem do saco;
Já descobri quanto a vida era boa enquanto eu acreditava em alguém;
Já brinquei de Pogobol;
Já senti saudades daquele tempo;
Já vivi muitos momentos de nostalgia;
Já fui viciado em bala juquinha;
Já sonhei mudar de cidade;
Já sonhei mudar de país;
Já briguei com meus pais;
Já me apaixonei;
Já escrevi músicas pra alguém;
Já briguei e fiz as pazes minutos depois;
Já nadei em piscina de 1000 litros;
Já desejei uma vida perfeita e vi que era pura utopia;
Já recebi declarações de amor;
Já engasguei com bala soft;
Já virei a noite pensando em alguém;
Já brindei ocasiões especiais;
E até as que seriam “normais”, mas se tornaram especiais por estar junto de pessoas especiais;
Já brindei até sem motivo, mas tinha birita, fazer o que?
Já ouvi mil vezes a mesma música;
Já dormi no ônibus e acordei no ponto final;
Já andei descalço e cortei o pé;
Já dormi no sofá vendo tv;
Já passei a noite olhando o mar;
Já fiz programa de índio e não me arrependi;
Já carreguei amigos bêbados;
Já fui carregado tb;
Já comi brigadeiro na panela com mais vários amigos, comendo na mesma colher;
Já recomecei do zero;
Já aprendi que a vida é uma escolha constante e que não posso ter tudo ao mesmo tempo;
E que escolher só por uma coisa não significa que vou ser infeliz;
Já cantei desafinado, mas me achei a Madona;
Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora;
Já subi em árvore pra roubar frutas;
Já chorei sentado no chão do banheiro;
Já escrevi meu nome numa árvore;
Já saí pra caminhar sem rumo;
Já fugi de casa pra sempre e voltei horas depois;
Já tentei esquecer pessoas inesquecíveis;
Já fiz coisas por impulso;
Já abracei pra proteger;
Já dei risada quando não podia;
Já ri quando a vontade era chorar;
Já fiz amigos eternos;
Já amei e fui amado;
Mas também já fui rejeitado;
Já gritei e pulei de tanta felicidade;
Já vivi de amor e fiz juras eternas;
E também já "quebrei a cara";
Já chorei ouvindo música e vendo fotos;
Já liguei só pra escutar uma voz;
Já me apaixonei por um sorriso;
Já pensei que fosse morrer de tanta saudade;
Já tive medo de perder alguém especial e acabei perdendo;
Mas vivi! E ainda vivo! Não "passo" pela vida...
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... que o AMOR existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim... e que valeu MUITO a pena!

Inserida por danielsilveira