Poeta Caipirinha: TEIM CABROCHA ISPERANU NA JANELA Ocê,...

TEIM CABROCHA ISPERANU NA JANELA

Ocê, qui pois anunciu
Pramodi arrumá maridu
Num si importi cum as beleza
Elas é tudo passagêra
O importanti nas realidadi
É sê muié di verdadi

E num precisa mostrá as coisa prus otrô
Pra chamá as atenção
Mais as veiz inté qué bão
Virá us zõios pras perna grossa
E prus decoti das cabrocha!

Se ocê é moça dereita
Mais sabi tameim usá a isquerda
Nas precisão du ladu
Pru modi fazê chamegu
Inté u homi gemê sem senti dô
Ocê deve di sê mêmu
Muié di grandi valô
Que chega divagarim
Nu mexi-mexi di fazê amô

Óia sinhá, muié prendada
Pelu quê ocê diz
Ta prontinha pra casá
Intão vamu procurá
Um homi pra ocê no arraiá

Pruque cabôca jeitosa
Morena fogosa, facêra e cherosa
Num podi ficá sortêra
Ansim, pelas vida intêra

Muié das mió qualidadi
Promodi fazê cafuné
Cumida no fugão di lenha
E cuidá di bichu di pé
Qual homi num qué?

Inté cum as garantia registrada
Ocê é muié pra si gostá
Ta prontinha mêmu pra modi si casá
Aqui no arraiá

Pessoá tem arguém aí pra si candidatá?
Tem uma cabrocha prendada
Dando sôpa no arraiá
Eu já tô inroladu
Num posso mi assanhá
Nesta semana
Nininha mais iêu
Vâmu si casá

Inté, intão!

Inserida por anaferreira