Genaura Tormin: MODI RUMÁ MARIDU Por Genaura Tormin(*)...

MODI RUMÁ MARIDU
Por Genaura Tormin(*)

Num sô feia nem bunita,
Mais sô muié de verdade.
Num usu essas coisa feia
Das muié lá da cidade.
Deus me livre, credo in cruiz
Mostrá minhas coisa pus ôto!!!
Issu num faço naum!

Seu moçu eu sô direita,
Tenho vergonha na cara!
Mais sei tombeim sê muié
Qui sabi fazê chamego
Inté o home gemê.
Num é pru senti uma dô,
É prumodi o meu calô
Que inspáia divagarim
Nos balançu do amô.

Si ocê tá pricisano
Duma cabôca jeitosa,
Morena fogosa, faceira
Pramodi fazê cafuné
E uma comida gostosa,
Eu tô prontinha procê.

Eu agaranto, seu môçu,
Qui ocê di eu vai gostá.
Nóis casa aqui no Arraiá,
Muitos fio vamo tê
Pra no roçado ajudá,
Fazê muita fartura,
E inté do gado cuidá.


Brigadu sinhá poeta Genaura!
Um beju du Caipirinha

(*)Genaura Tormin. amiga, poeta e escritora.
Autora dos livros Apenas uma flor (poesias) e Pássaro sem asas (romance-biografia)

Inserida por anaferreira