Tânia Mara Camargo: DISPIDIDA DA SINHÁ (Tânia Mara...

DISPIDIDA DA SINHÁ
(Tânia Mara Camargo)


Tô com o coração apertadu,
Vô deixá meu canto,
Meu rincão quirido,
Meu chão vermeio.

Di noite veju o céu
Estrelado, pareci
Tão pertu, mai
Tão pertu,
Qui a lua dá pra pegá.
Pareci doci de arroiz doci,
Bão de lambuzá.

As porteira aberta,
Isperandu o amo chegá.
I chego!
Tô formosa qui nem
Flô.

Mais o peitu dói
Ademais,
Num gostu de
Adespidida,
Eita firida duída.

Ocê já pode pega na mão
Inté!

Inserida por anaferreira