Aline Marques da Rocha: "O fato é que não encontro outra...

"O fato é que não encontro outra maneira de expressar meus sentimentos, não vejo outra saída a não ser essa: escrever palavras soltas, me perder por uns instantes nessas entre linhas de minha vida e juntar tudo em uma só coisa. Não há outra saída a não ser: perder horas buscando as palavras certas a fim de formar frases, parágrafos, textos, coisas assim maiores.
Liberto o prisioneiro que há em mim. Viro essa carcaça velha e suja para dentro e coloco o de dentro pra fora. Calma, preste atenção: Encolher, remexer, desdobrar, arrumar,... Estou do avesso. E isso é tão calmo, tão tranqüilizante. Algo parecido como se o meu 'eu' interior emigrasse, fugindo de mim. Louco, correndo por qualquer caminho, chutando todas as pedras que ali existem com a finalidade de te acertar. Tocar você de alguma maneira - mesmo dolorida.
Ando em busca de aliviar minha mente, minha alma, meu coração. Livro-me assim dessa coisa que vem me engordando como se eu fosse um verme alimentando-se de lixo. E deixo em suas mãos o que fazer com todo esse entulho. Assim, não eu mas você me esvazia dessas coisas que me enchem de incertezas e ao mesmo tempo, de esperanças.
(Pensava que você fosse a cura...)
E depois de tudo isso minhas enxaquecas não passaram... Continua tudo como era antes e só há um jeito de extravasar - que chega espontaneamente a mim: chorar até esvaziar-me como se fosse uma garrafa de vinho na boca de um desesperado. Chorar... Não porque é triste, mas porque é capaz de transbordar os sentimentos."

Inserida por alinerocha