António Fernandes de Oliveira Milhazes (adaptado): Amor a Marinheiro Ó marinheiro que vais...

Amor a Marinheiro

Ó marinheiro que vais pr’a marinha
Toma cautela não caias ao mar
Olha que a vida da guerra é só uma
E tu a mim tens que voltar

Há nove meses que me enganaste
E me deixaste nesta escuridão
Hei-de ir ao sol amor hei-de ir a lua
Mas nunca nunca te darei perdão

Mas se um dia te chegar a ver
A mendigares pedindo pão
Dar-te-ei esmola como a qualquer pobre
Mas nunca nunca te darei perdão

E se algum dia eu chegar-te a ver
Preso em alguma prisão
Irei te ver como a qualquer preso
Mas nunca nunca te darei perdão

Mas se algum dia chegar-te a ver
Morto estendido naquele caixão
Dar-te-ei um beijo de eterna saudade
E só aí eu te darei perdão ......

Inserida por boto