Gilberto Freyre: O saber deve ser como um rio, cujas...

O saber deve ser como um rio, cujas águas doces, grossas, copiosas, transbordem do indivíduo, e se espraiem, estancando a sede dos outros. Sem um fim social, o ... Frase de Gilberto Freyre.

O saber deve ser como um rio, cujas águas doces, grossas, copiosas, transbordem do indivíduo, e se espraiem, estancando a sede dos outros. Sem um fim social, o saber será a maior das futilidades.

Nota: Trecho de discurso de "Adeus ao Colégio", novembro de 1917.

Inserida por jajamile