Nídia Vargas Potsch: DEIXE-ME... Deixe-me amá-lo! Amar...

DEIXE-ME...

Deixe-me amá-lo!
Amar simplesmente,
delicadamente,
como quem aspira puro ar,
como quem se embriaga com o luar,
como o tenro sugar de um beija-flor.
Quero ir ao seu encontro
para realizar este sonho de amor ...

Como leve pluma esvoaçante
cruzarei mares e oceanos
sem medo da travessia,
voando alto, ultrapassando tempestades,
cortando nuvens negras,
transporei desertos escaldantes,
montanhas e ravinas verdejantes,
caminhos entruncados,
trilhas desconhecidas,
obstáculos mil, limites sejam quais forem,
só para chegar até você ...

Viajarei depressa
ao som desta mágica melodia,
avivando sua emoção e
tocando as teclas do seu coração ...

Cobri-lo-ei de mimos e carinhos,
amá-lo-ei loucamente até a exaustão.
Cairei em seus braços
e envolta por seus ternos abraços
olharei bem dentro de seus lindos olhos,
dizer-lhe-ei: eu o amo!
Farei e receberei mil afagos de amor ...

Inserida por jucicastro