Leonardo Horta: " À minha menininha" Vi-te em...

" À minha menininha"

Vi-te em minha vereda, em caminho de minha vida;
me és rumo e destino, és única saída,
és inspiração, de sonho e paixão, és começo e recomeço, és amor e és razão,
és quem em mim eu reconheço, do início, até o fim,
és quem só hoje tenho, e quem sempre esteve em mim.

Subi aos altos montes, desci aos profundos vales,
trilhei por toda a terra, cruzei todos os mares,
não há na criação, tamanha inspiração,
de tua intensa formosura, não se há contemplação.

Minha doce menininha, de meu reino és rainha,
das viagens és meu porto, dos anseios meu conforto,
já não sei se sou sem ti.
Se tu fores, eu irei, se ficares, ficarei,
se a mim deixares, morrerei,
pois sem ti eu não serei...

Minha rqazão não decidiu, meu conceito se partiu,
não sentido em minha ação, mas no Juri da paixão,
toda regra é escessão

Não antevejo o amanhã, e nem quero antever,
quero amanhã viver o hoje, e pra sempre reviver.
Hoje sou teu...
Hoje és minha...
Já decidi não acordar,
deste sonho de criança,
minha doce menininha.

Inserida por LeonardoHorta