Mariana Botelho: ATO um poema me deixou um sismo na carne...

ATO

um poema me deixou um sismo na carne
me arqueou o corpo
e traçou em minhas costas itinerários de espuma.

com um gosto de cor
na boca
deixei cair pulsante
um
longo beijo
morno

Inserida por sizinha1234