WITTEMBERGUE MAGNO RIBEIRO: A CHEGADA Quando chegou, eu ainda Te...

A CHEGADA

Quando chegou, eu ainda Te esperava;
A retina já embaçada,
Subitamente tornou visível o Teu invisível rosto.

Os meus ultrapassados limites,
Passaram entrever doces horizontes,
Somente porque Tu chegaste.

Se não fosse a dolente espera,
Queria eu Te esperar mais vezes,
Tudo para divisar Tua sutil aproximação.

Quando Tu chegas,
A imaginação cede lugar ao real,
E o silêncio converte-se em euforia.

Porquanto, já não careço saber onde estás,
Conquanto a espera cessou.
Tu, estas bem aqui!


Por Magno Ribeiro em 1/4/2009 (04h45min)

Inserida por wmagnoribeiro