Gauber Gomes: OUTRA VEZ O velho sentado aporta...

OUTRA VEZ

O velho sentado aporta pergunta por que a ingratidão de um coração promove a dor daqueles que sabem o que é o perdão, ele vê o sentido da toda sua vida perdido, quando nos seus pensamentos vê que os dias que ele passa sentado ali naquela calçada não diz respeito à maioria das proezas que por ele foram feitas.
Ele se pergunta pelo respeito, que só existe hoje, na sua maioria, na imposição da ignorância, e ele lembra-se de velhos tempos onde se amava para sempre, quando o amor era tratado com responsabilidade, e ele viu isso passar e se transformar na baderna dos casais do dia-a-dia.
Mais ele acredita que ainda existe gente que pensa como ele, que não deixa a malícia dos olhares nem a insegurança tomarem conta de se, ele lembra-se de cada momento difícil e deixa essas lembranças bem vivas para sempre se lembrar de onde veio e o que se tornou.
Quando sentares na calçada da sua vida lembre-se de que enquanto aplaudimos os palhaços da nossa vida a vida do palhaço também para ouvindo a ovação, nos libertar dessa passagem e seguir viagem é a realidade dura, que às vezes maltrata, existem fases na vida que podiam durar pra sempre.
Com a idade a dúvida aumenta e aquele velho cheio de respostas já sabe que ainda não aprendeu tudo, e que assim como a maioria das coisas tornou-se passado, ele sabe que tudo pode mudar, e apesar das idas e vindas ele ainda acredita que o amor é pra sempre.
Quando se deita e abraça um corpo que quente, o coração se aquece de ternura, os dias vão passando e a compaixão aumenta mais e mais, e o amor se completa, como a alma do poeta que cria e recria história a mão do tempo com o senhor dos destinos vai desenhando em nossas vidas as charges, as fotos, os quadros das passagens das cenas da vida real.
E na consciência de quem ama fica gravada as sensações de prazer relembradas através de palavras chaves que abrem as portas dos nossos sentimentos, a providência sublime acontece quando do lado de quem se ama se pode ter o prazer de sentar a frente de uma velha lareira em noites de inverno e olhar o passado das boas lembranças e rechear a vida de sonhos novos.
Às vezes se faz questão por tão pouca coisa, e destrói-se uma vida inteira por nada, o pior e fazer essa descoberta após tudo estar perdido, o que foi perdido não se recupera mais, o que foi dito não se apaga, um segundo depois de agora já é passado e não muda mais.
Mais importante que reconhecer a derrota e ser humilde o suficiente para perdoar o inimigo, e aprender com ele onde você falhou, a vida não acaba aqui, é mais fácil derrubar a casa e reconstruir que deixar que o teto desabe sobre sua cabeça.
Eu agradeço a você por me fazer diferente a cada dia e fazer a diferença pra mim, obrigado pela sinceridade e pelas verdades que me diz, pelo olhar compreensivo e pela força que me faz viver, obrigado por ser tão acolhedor, por segurar as minhas mãos quando meus joelhos e dobram, obrigado por você passar em frente a minha rua e por deixar a minha vida mais feliz, e obrigado por isso e por um milhão de motivos que me faz querer estar ao seu lado.

Inserida por Gauber