Élida Maria Aragão: Às vezes um blues Noutras um tango...

Às vezes um blues
Noutras um tango argentino
Sigo encantando-me com a disritmia
Dos bailes loucos do destino

Vida bela, enigmática...
Não quero a tua consolação
Quero dar a cara a tapa
Não me atrai o teu perdão

Se sangras-me com o espinho
Presenteio-te com a flor
Se tentas roubar-me o riso
Apresento-te o paraíso

Na estrada incerta da vida
Não sei aonde vou parar
Mas se me reconheceres
Convide-me prá dançar

Inserida por elidamarya