Claire: Não sei o que quero. A única coisa que...

Não sei o que quero. A única coisa que realmente sei agora é que nada sei, que nada sou. Apenas mais uma de suas crianças perdidas, sociedade maldita.
Não posso amar mais.Amar significa sofrer e não sei se agüento mais sofrimento. Eu não quero mais nada disso só quero ser feliz. Será que peço muito?
Como eu gostava da ilusão. Ainda gosto. Afinal foi disso que me alimentei por todo esse tempo. Da ilusão, de sonhos. E agora que acordei estou machucada demais para reagir, mas creio que levantarei. Um dia. Não agora.Estou fraca ainda.
Mon Dieu ajude-me. Ajude-me porque sei que sua piedade é infinita. E acredito nisso. Porque há uma grande diferença entre saber e acreditar. E sei que acredito. Pois é só nisso que posso me apoiar agora.
Dizem que a vida é incerta e ás vezes o destino prega peças sobre nós. Chegou a minha vez. O destino sombrio passou disfarçado de criatura celestial e levou um pouquinho de mim. Estou incompleta agora. Eu perdi. E a perda foi tão grande que me fez acreditar. Porque quando a perda é grande demais, você precisa saber que teve alguém que morreu por você. Alguém que nunca duvidou do amor. Alguém que viveu por uma boa causa e que morreu por ela. Você precisa acreditar porque no final essa será nossa salvação.
Eu acredito agora.

Inserida por ClaraCastro