Loival: É PARA SE PENSAR COM BASTANTE CARINHO...

É PARA SE PENSAR COM BASTANTE CARINHO

Só um lembrete do Quintana ...
'A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos! (sic) (o correto é: se passaram)
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.
Desta forma, eu digo: Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo, a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais.'

Mário Quintana


Breve comentário sobre esse texto, não que eu discorde de que nós deveríamos nos espelhar nessa mensagem para darmos um sentido mais humanitário em nossas vidas, porém, a verdade dos dias atuais de longe ninguém ou quase ninguém teria condições de ver e viver a vida dessa forma, senão vejamos:

Quando Quintana escreveu essa mensagem com certeza o mundo não era tão exigente quanto hoje, por certo naquela época bastava ter o segundo grau para ser alguém do topo, faculdade, essa era algo quase desnecessário, pós-graduação nem se falava naquela época.

Então vamos ver como ficaria o texto dele se o escreve hoje:

É PARA SE PENSAR COM BASTANTE CARINHO

Só um lembrete do Loival ...

'A homem é a maquina que querem que sejamos.

O dia tem apenas 24 horas, mas somos obrigados a transformá-los em:

1. Para se ter uma boa saúde e viver bem, precisa-se de dormir pelo menos 7 horas (a quem precise de mais);

2. Independentemente do salário precisa-se de pelo menos 8 horas de dedicação para o trabalho;

3. Com a concorrência e os competidores cada vez mais instruídos, precisa-se de pelo menos 3 horas diárias de estudos, sem data para parar, até morrer;

4. Com as metrópoles cada vez mais entupidas de carros e sem transportes públicos de qualidade, fica-se em média 2 horas no transito por dia (há quem fica o dobro);

5. Precisa-se de pelo menos 1 hora diária para as necessidades fisiológicas e higiene;

6. Precisa-se de pelo menos 1 hora para se alimentar;

7. Para não perder a mulher, precisa-se de pelo menos 2 horas diária só com ela;

8. Quem tem filhos precisa-se de pelo menos 2 horas diárias de dedicação aos filhos, para não perdê-los para as drogas ou para a marginalidade;

9. Precisa-se de pelo menos de meia hora diárias para dar atenção aos demais membros da família;

10. Para não pirar, precisa-se de pelo menos de meia hora diária consigo mesmo;

11. Para não pirar e não pirar a(o) parceiro precisa-se de 30 minutos diários com os amigos;

12. Para não ter a vida encurtada (com um enfarto ou derrame, por exemplo) precisa-se de pelo menos 1 hora diária de exercício;


Depois de fazer esses cálculos, aí surge um otimista e diz: é o final de semana? Então eu digo: para alguns, desses itens só o trabalho e o transito (10) é que podem ser desviado para outras finalidades. Como existe uma defasagem de 20 horas semanal, logo não sobra nada. E como fica o lazer, lavar o carro, fazer trabalho de escola, dormir uma hora a mais, ajudar a mulher a lavar os pratos, fazer as compras?


Pô! Ainda tem gente que acha que ficar 4 horas por semana com os amigos (assistindo futebol, batendo uma bolinha, jogando conversa fora, tomando SKOL) é muito.

Agora como não somos uma máquina, alguns horas desses itens terão que ser sacrificadas, mas qual?

1. Se optar por reduzir as horas dos itens 1, 5, 6, 10, 11 e 12; a saúde vai pro brejo, logo a vida será encurtada, morre-se antes da hora;

2. Se optar por reduzir as horas dos itens 2, 3 e 4; perde-se o emprego e na sequência a mulher, os filhos, a família e os amigos, aí a vida é encurtada, morre-se antes da hora;

3. Se optar por reduzir as horas dos itens 7, 8 e 9; Perde-se a mulher e os filhos, entra-se em depressão e vai perdendo o emprego, os amigos, a família e a saúde, logo a vida é encurtada, morre-se antes da hora.

Agora se alguém encontrar a solução diga-me, pois O Quintana escreveu o que deveria fazer, mas não disse como.

Loival

Inserida por Loival