Wana Karen Cristine B de Moraes: O que perdi... O que perdi foram frases...

O que perdi...
O que perdi foram frases que só a voz de pai que realmente se preocupa é capaz de dizê-las: Vai dormir, está tarde. Com quem você estava? Quem estava lá? Volte (tal)hora. Vem pra cá. Quer ir comigo à (tal)lugar? Coça minhas costas. Tira meus cravinhos. Você não pode comer isso, faz mal. Será que o cara gosta mesmo de você? (e quando o Juninho avisou que viria do Rio de Janeiro cuidar de mim na pós cirurgia) Ele disse: O cara gosta mesmo de você minha filha. Se meu netinho for homem quero que tenha meu nome. Está precisando de alguma coisa?
O que perdi...
Foi um GRANDE amigo, o mais lindo de todos, o verdadeiro amigo com quem eu poderia contar não importando qual fosse a situação e apesar de tudo o que ele representava e ainda representa, é aquele amigo que você teme, que nem tudo você consegue contar, seja por respeito as vontades dele(ainda que sejam diferentes das suas) ou seja por medo de ser criticada por aquela pessoa que te ama tanto, talvez seja por medo de decepcionar mais uma vez, ou por este infinito desejo de agradá-lo não importando muito minhas escolhas. Meu velho, bom e grande amigo... Que saudades de você, que saudades de suas ligações inesperadas, de seus conselhos, de seu olhar, dos teus cabelinhos brancos com cheirinho de neném, que saudades de ver aquela única unha(a do mindinho) grandinha, aquele piercing no dentinho que brilhava ao arrancar um sorriso teu. Meu grande amigo, eu aprendi muito contigo e tenho certeza que você aprendeu algo comigo também (minha sogra me contou que você disse a ela e o Ninho, a seguinte frase: “A Karen, tem me feito quebrar muitos tabus que eu não aceitava antigamente, só ela mesmo pra fazer isso”, puxa, errei muito contigo!
Eu sei que perdi todas essas coisas porque enquanto nesta vida eu estiver não poderei vê-lo ou ouvi-lo, mas eu sei pai, que sempre você será meu pai, que nunca vou deixar de te amar e ser amada e que nunca estarei sem ti, porque isso foi o que falaste pra mim horas antes de viajar, falaste que nunca me abandonaria.
Dizem que a morte nada mais é que o passaporte para a verdadeira vida... Ainda vamos trocar abraços.

Inserida por wanakaren