Raul Lennon: “Questão da Maioridade” Os meninos...

“Questão da Maioridade”

Os meninos assumindo,
Sumindo,
Mentindo
Os horrores da vida.

Que se propagam em gemidos
Nos papéis que não vivem
E geram grande discussão
Que o problema está na chamada exclusão.

E pergunto à Lei:
De onde você veio?
E de triste diz: “Eu não sei,
Talvez foi de um imenso devaneio,
De uma classe imbuída,
De fascinante instrução,
De papéis que não ensinaram
O horror da ilusão”.

Parece que vivemos sob a égide de sombras,
Formas, formatos, contornos...
Que pouco explicam os pingos vermelhos da dor,
Agonia, angústia, aflição...
Onde rostos pequenos estão perdidos
E se perdem beira ao abismo
Das drogas das drogas, da violência,
Do terrorismo, da hipocrisia...

A política decodifica a verdade
Transformando em mentira,
Assustando a sociedade
Que se assusta nessa pseudo-realidade
E vira escrava do medo.

De longe é possível ver a situação,
Bramidos de perdão,
Onde se pedem ao menos educação,
Mas esse “pedir” parece surdos gritos,
Que não ouvem por não querer ouvir,
Vivendo em um mundo bastante rude,
Onde nem sequer o Estado traz saúde.

É o calibre das crianças.
É o tiro dos adolescentes.
São os gritos de uma esperança
Que a política as faz dormentes.

Enquanto soa a música lá fora,
Lá foram soam ruídos
Que se silenciam em eterna espera
De alguma melhoria,
Na qual nem o outono, inverno ou primavera
Irão progredir a vida
Que morre lentamente.

Muitos vivem ainda em fragmentos,
Em ilusões.
O homem cria contos de fadas e magos,
Talvez ele não queira a realidade,
Teme a realidade,
Odeiam ver os jovens reduzidos,
Seduzidos,
Por alienações,
Onde a magia escura,
Corporifica-se em artigos obsoletos,
Letras mortas assim como muitas outras.

O problema não está na Lei,
Está na lealdade governamental, política e até social
E o preço pela traição quem paga é o jovem
Que são reduzidos em papel
A apavorante dor de meras letras.

Inserida por RaulLennon