Edu Carvalho: (...) Se eu pudesse humanizar minha alma...

(...)
Se eu pudesse humanizar minha alma
Diria que ela está exangue
Com uma expressão mofina
De um cavaleiro derrotado
Que não foi morto no duelo;

Escudo quebrado,
Espada baixa,
Armadura despedaçada,
Olhar langue, vergonhoso,
Os músculos fadigados.
Ali, imóvel, no meio daquela multidão
De olhares repressores.
Digno de pena.

A espada que a pouco parecia dar-lhe plenitude
É agora o símbolo de sua derrota
Algo que não pode mais levantar
Algo tão pesado que já nem pode segurar
Mas com o punho fechado, serrado, da euforia que passou a pouco,
Também o impossibilita de solta-la.

De símbolo de força e garra a símbolo de derrota e humilhação
Torna-se agora uma chance de recomeço,
Mais uma ultima fagulha de força e esperança
De, quem sabe, mais um duelo mortal.
(...)

Inserida por educarvalho