M.Nigro: Não costumo me revelar Não costumo...

Não costumo me revelar
Não costumo falar com estranhos
Não costumo falar sobre minha vida nem comigo mesmo
Hoje conheci alguém
Já minto
Conheci a dias
Hoje falei com este alguém
Não sei o nome só sei que e ela
Ela me roubou
Retirou de mim o que não costumo mostrar
Fez-me dizer o que há em mim apesar de nem me lembrar
Fez-me lembrar que um dia nascera
Fez-me revelar a mim mesmo o que eu sou
Não lembrava o que era viver
Estava cego
No mesmo ia me roubaram minha causa cegueira
De repente
Um dia ouvi
“Noticia ruim chega logo”
E verdade
Só que às vezes tem um atraso
Se não tivesse ocorrido este atraso talvez eu ocasionado outra atitude
Soube que quem tomava meus pensamentos mais secreto sumira em pouco tempo
Porque não fiz
Porque não vi aquele celular que estava tão perto porem tão calado
Será destino
O que será que me aguarda
Minto novamente
Ela perguntou-me sobre amor
Não amor amor
Amor a prima vista
Eu respondi com um verdadeiro vazio
Estava tomado por pensamentos já vazios que me geravam outro vazio
Na realidade
Penso eu
Amor, só a prima vista.
E aquele que é o choque
Como a ignição de um carro
Um carro não se liga aos poucos
Tem que ser uniforme e total
Por inteiro
Penso que já e hora de preencher um vazio que me toma
Será?
Em fim
Nunca gostei tanto de ser roubado.

Inserida por michelnigro