Hélder Nóbrega Prando: O homem sem amor é uma casca sem graça...

O homem sem amor é uma casca sem graça
Que despedaça a cada golpe de ausência
O homem sem o amor ronda cada praça
E perde a noção do tempo tocando o vazio

O que um dia já foi cura, consome-lhe a carne
A cada excesso de fúria, a esperança que vai tarde

Tudo acaba desconhecido, difícil ver algum sentido
E se a felicidade não lhe pertence mais
Não cativa nada, não tem valor o que ficou pra trás

O homem sem graça é uma casca sem amor
Que sangra ao ver que hoje é só mais um
Amor liberto, banhado pela ingratidão
Que faz do homem um ser comum

Inserida por deberg