Ricardo Reis: Aguardo, equânime, o que não conheço...

Aguardo, equânime, o que não conheço —
Meu futuro e o de tudo.

No fim tudo será silêncio, salvo
Onde o mar banhar nada.

Aqui, Dizeis
Aqui, dizeis, na cova a que me abeiro,
Não 'stá quem eu amei. Olhar nem riso
Se escondem nesta leira.

Ah, mas olhos e boca aqui se escondem!
Mãos apertei, não alma, e aqui jazem.

Homem, um corpo choro!
Aqui

Inserida por victormartins