Verônica H.: Quem sou eu agora, se já não me...

Quem sou eu agora, se já não me esperas em nosso sonho?
Quem serei eu após despertar?

Frio na espera, um vazio na espinha
Estou entregue ao vento,
sussurrando tua ausência,
Fim do dia e continuo só.

O banco está gelado e temo,
tremo abrir os olhos e ver.
Sentir o banco vazio.

Inserida por veronicah