David Saleeby: Paixão de criança É como uma...

Paixão de criança

É como uma criança. Eu quero, grito e me oponho à razão. É claro que está tudo errado, onde está a liberdade numa vida de responsabilidades que fazem gerar um conflito interior de dogmas sociais? É como duas crianças. A ternura faz-se esquecer o resto e a sinceridade da devoção num amor ágape faz tudo parecer possível e eterno. Feito flor e abelha. Eu só queria brincar na chuva, mas me molhar seria como errar e ser culpado pela própria água que cai das nuvens. Eu não entendo as circunstâncias na vida de um adulto, tudo parece tão superficial e automático. Apaixonar-se sob um céu negro e sobre uma selva urbana de vazios propósitos egoístas é como envenenar a si mesmo e engajar-se numa interminável busca por algo simples, puro, bom, mas impossível. Me é vedado, enquanto criança, o direito de viver para outrem. Me é imputado, enquanto elemento da máquina, a função de calar-me e tapar os olhos, ouvidos e coração. Só quero ser criança, com paixões de criança, para sempre.

Inserida por dsaleeby