Alessandra Leite: Caminhos Nas lágrimas em que me rendo...

Caminhos


Nas lágrimas em que me rendo

À eternidade de um amor perene

É fácil perceber quando a calma vence a urgência

diante da dor da renúncia e da saudade



Procuro as rimas e não as encontro

Deixo a alma redigir o texto

E para os erros chega a penitência

A maior punição é a ausência

da alma dele em minha casa



Ele é a paz que me falta

O silêncio que cala meus medos

Transforma o cinza em cor-de-rosa com duas palavras

Ele é a própria imagem do amor cristalizado



A paciência que me faz falta

A doçura que me seduz

No breu do pecado ele é a minha luz



A distância é o meu castigo

E se ele vier comigo

Meu castelo se refaz



Ele é a renúncia mais doída

A chegada e a partida

Dos caminhos até mim



É o vento que traz

a verdade capaz

de devolver o meu eu



Ele é o navegar quieto

Intranquilo

O rio que em um delírio São

Precisa cair no mar.

Inserida por alessandrakarla