Natália Maria de Lira Cardoso: Inebriada pelo doce e suave cheiro das...

Inebriada pelo doce e suave cheiro das mentiras proferidas um dia pelo teus lábios inocentes. Pousei meus olhos em lembranças antigas que já não são mais realidade. A sensação de desconforto que me consome quando teu semblante inunda a minha mente rápido e inconstante.Faz as lagrimas que antes, fui forte para agüentar,rolassem até aonde meus dedos a tocassem tirando-as do caminho para o resto a cima. Estradas corretas com escolhas difíceis. Perdida entre a linha fria de estado,desejando segurar-me em algo que me dê plena consciência do correto.os atos que feriram um coração jamais se dissiparam como uma bolha ao vento. Erros irremediáveis ao ponto do precipício de cometê-los novamente. Perderei muito mais do que apenas uma vida.O temor em nossas veias frias e rígidas,não me deixam seguir pela tangente.Palavras torturantes que voltaram por não ter sido ditas antes. Lagrimas quentes e infelizes molham o meu rosto cansado,encharcando meus lábios de angustia e dor. Novamente me encontro na encruzilhada,aonde nossos corações não serão ouvidos,mas reprimidos.A dor que pulsa fulminante dentro de meu corpo,terá que se controlar. Sorrisos, lembranças,fotografias, terão que desaparecer à custo de minha ingênua mente. A punição vem sem piedade,agarrando-nos pelo pulso e nos colocando aonde não podemos nos esconder das verdades que nos mataram aos poucos. um coração grita pelo certo e seus sentimentos morrem ao percebê-lo. Nada irá se repetir,não enquanto eu existir.

Inserida por NataliaCardoso