Armando Moro: Decidir... decidir, valer-se da...

Decidir...

decidir, valer-se
da arbitrariedade,
do sentido e o
rumo ao andar
de estrelas, flutuar
pelo campo das
dúvidas, colher-se
por entre as
certezas de
um jardim regado
a esperanças...
convicção do certo
reflexão, decisões
a caminhos sem
volta, banidos
de um mundo
triste, desprezível
voltado a arte de
viver, decisão de
vida, minha vida,
pura e simplesmente
minha em sentido,
direção e intensidade
como a um vetor,
mas longe de sua
frieza física,
perto sim do
calor físico
apaixonante do
ser que me acolhe,
que renega mas
se demonstra,
se mostra
me ilumina
me preenche,
me faz decidir
amá-la...

Inserida por Englevorin