Maria Corina Araujo: Na luz da tua estrada (Maria Corina...

Na luz da tua estrada
(Maria Corina Araújo)

As vezes sonhava com dias distantes
paisagens, que pareciam nunca chegar aos meus olhos
Ao longo do caminho, o sol me queimava a pele, me ardia os olhos...
A chuva, me deixava com frio, molhava minha alma, com lágrimas que não acabavam mais...
O vento, este secava minhas roupas, mas soprava areia em meus olhos...
O céu, ah o céu, me punia com sua ausência de estrelas...
Certo dia porém, em uma curva, deparei-me com uma pequena estrada, ela não me mostrava lugar a que chegar, somente tocou meu coração com sua simplicidade...
Resolvi caminhar por ela, e ao pisar senti o chão parecer agradável, me acolhia...dois passos e percebi que o vento trazia-me cheiro de rosas, e eu inebriada com tal perfume continuei em tão curioso caminho, vi coisas nunca antes vistas, senti aromas nunca antes experimentados, arvores tão altas que poderiam me lavar as estrelas e seus troncos poderiam me servir de abrigo.
O sol, este, em sua magnitude, não queimava mais minha pele, ao contrário, me aquecia me abraçava, aguçava o prazer de ver tudo a minha volta.
A chuva insistia em cair mansa, fazendo crescer a minha volta, lindas flores, trazia vida, não pranto, vinha do céu como promessa de um lindo dia.
A noite não me assustava mais, por que a lua e as estrelas eram tantas que me ensinavam o que era imensidão, não me sentia só...
Esta estrada me levou a felicidade, mostrou que caminhar não é o mais importante, mas o caminho que escolhemos, sim...
Obrigada por segurar minha mão...

Inserida por Corina