Sandra Helena Queiróz Silva: O Novo O novo deriva de uma ânsia de...

O Novo

O novo deriva de uma ânsia de começos e da redescoberta da forma inaugural a relacionar com tudo.
O novo assusta porque nos conota com o livre e o criativo,é a capacidade de encontrar solução sempre parcial e diferente para enigmas que se repetem.
O novo inquieta porque nos obriga a acertar, e sim a experimentar.
O novo é mais obscuro,sedutor,assustador e o mais difícil dos caminhos.
O ano não será novo,o dia não é novo.A natureza não se rege por calendários;criação dos homens.Cada dia será igual a sempre e a todos.
Seja novo no minuto,reinaugure-se só então,cheio de medo e insegurança poderá aspirar a si mesmo,livre o suficiente para enfrentar qualquer prisão.
A maior das quais é a REALIDADE.

Inserida por piripaque