Petrônio Augusto Carvalho Olivieri Filho: É, eu tô amando uma morena, fruto...

É, eu tô amando uma morena, fruto tropical.
Uma morena que tem os olhos verdes. Morena verde.
Quando ela me olha, parece que me despe por completo,
logo eu, que fico tão orgulhoso em dizer que a Física
é o meu passatempo predileto fico assim sem reação
quando estou perto dela. Além do ar de menina carente,
às vezes ela usa um óculos que a deixa com cara de mulher
decidida, intelectual, cheia de si, o que dá um toque
maior de sensualidade.
Sabe, fazia tempo que eu não me apaixonava, esse amor
tá fazendo bem pra mim. Tá me fazendo descobrir quem eu
realmente sou. Descobrir que eu vivo num país plural, e que
tem espaço pra todo mundo.
Comecei a refletir sobre o quanto a gente fica com bobagem
em querer ser igual aquele cara da novela, aquela modelo
que apareceu em tal programa, Cada um tem sua essência,
e nisso consiste a beleza do mundo, ainda mais pra nós
que vivemos num país como o Brasil, multicolorido.
Descobri que não existe apenas uma garota que vale a pena,
Aquela que é o centro das atenções de um grupo social, que
nunca dá valor a quem merece e sempre faz doce. Deixa fazer,
sempre preferi pratos salgados mesmo. A gente demora, mas se
dá conta de quanto tempo perde em querer provar pra todos que
a gente tem valor.
Existe um valor universal? Existe código de barra pra
ser humano? Qual a melhor, loira, negra, ruiva, morena?
Ah, eu tô amando uma morena, que é amiga da loirinha,
que sempre estuda Física comigo.

Inserida por petronio.olivieri