Márcio S. Cott: Eu que tanto te amei até aqui, errei e...

Eu que tanto te amei até aqui, errei e sei disto muito bem, pois sofro as consequências de seu coração agora estar frio...
Sofro com tanto, pois sei que para mim é muito sua frieza, mas ainda que todos estejam contra mim, ainda há otimismo em meu ser debilitado, e contudo minhas esperanças não são cegas, mesmo que distante procuro sempre uma luz para seguir.
Assim sou, buscando sempre você, querendo sempre seu bem mesmo que para isto eu tenha de sofrer, me importa mais um sorriso em teu rosto de que uma lágrima no meu.
Amo-te incondicionalmente e apesar de lhe ter dito tantas vezes que há amo, sinto como se fosse a primeira vez a cada vez que te confesso este sentimento em formas de palavras; é como se eu tirasse um peso de minh'alma.
Busco-te em todos os minutos de meus dias a dias e sempre à encontro, pois você já pertence ao meu viver, não como eu gostaria, mas você é a causa de toda meus sorrisos, lágrimas, fadigas e todas as minhas esperanças...
Eu pensei que não fosse capaz de sentir algo, mas quando pensei isto inda era eu imaturo, não faz muito tempo, mas a cada instante que se passa amadureço-me mais para encontrar em seus olhos bom grado... apesar de distante ainda de ti, no conhecer ou simples ironia, longe de ti ao que se sente, eu sinto e isto é puro, verdadeiro, humano e muito mais...
Isto é o amor que te insisto cheio de fé buscando encontrar-te perdida por ai, quem sabe? À encontro passeando em meu mundo, que mais é seu, pois todos os adornos e decorações fiz para te agradar... quem sabe...

Amo você de uma sinceridade e pureza tão grande que fico triste por vezes ao imaginar somente meus caminhos outros... que não fosse uma vida inteira de amor a ti dedicar...
Palavras são só palavras, sei disto, você mesma me disse... mas é mais do que palavras o que tenho para ti no dia em que me encontrar no amor...
É o quanto a farei sentir isto...
Amo-te Edileuza Paiva Scárdua...

Inserida por marcio-azuelide